Mitos do Outsourcing

Mitos do Outsourcing
2 anos atrás

O mercado de Tecnologia da Informação está em ascensão. E apesar da retração do mercado mundial em 2021, o IDC prevê um crescimento de 11% para o setor este ano.

Isso se deve a um mundo cada vez mais digital e conectado e a expansão de áreas que tem como foco automação. E um mundo globalizado e virtual ocorreu a regulamentação quanto ao uso de dados sensíveis. E com isso foi instaurada a Lei de Proteção de Dados (LGPD), isso fez com que o setor recebesse um olhar ainda mais especial dos gestores para garantir a segurança da empresa e de usuários.

O que é LGPD?

LGPD é a lei de proteção de dados que entrou em vigor em setembro de 2021. A sua finalidade é resguardar os dados sensíveis de usuários. Entenda mais sobre a LGPG clicando aqui.

Por outro lado é um setor que enfrenta desafios como a dificuldade de encontrar mão de obra especializada e de qualidade, salários altos e alta rotatividade. Existem alternativas para esses desafios, dentre eles o outsourcing.

Outsourcing e gestão à vista

O outsourcing em TI é recomendado para empresas que têm grandes volumes de demanda no setor independente do seu porte, através dele é possível reter mão de obra qualificada. Você já conhece como o outsourcing em TI pode te ajudar?

Porém são muitos os ganhos desse recurso, mas enfrenta mitos sobre sua adoção, conheça alguns a seguir.

1 Outsourcing é recomendado apenas para grandes empresas.

Essa informação não é real, isso porque algumas empresas pequenas tem alta demanda em TI, mas pouca mão de obra para executar as tarefas. Uma terceirização especializada pode contribuir para a fluidez do setor.

Além disso, com ela é possível diminuir o impacto da rotatividade, muito comum em empresas menores, isso poupa tempo e dinheiro com o treinamento de equipes. Outra vantagem é já trazem consigo o know how necessário para a execução das tarefas.

Squads externos podem trazer ideias e soluções novas para problemas antigos e até mesmo impulsionar sua empresa a inovar com maior eficiência e agilidade.

2 Sigilo e segurança de dados são comprometidas.

Conforme falamos anteriormente esse é um assunto em foco com ascensão da Lei de Proteção de Dados (LGPD). E alguns gestores levantam a questão: Contratar pessoas externas pode causar vulnerabilidades na segurança da empresa.

Na verdade, o que ocorre é, normalmente, o contrário. Isso porque equipes externas lidam frequentemente proteção de dados e podem trazer o conhecimento para evitar exposição dos dados da empresa.

Assim pequenas e médias empresas podem utilizar os squads especializadas de outsourcing para a criação de processos que estabeleçam níveis apropriados de segurança e comprometimento de SLA (Service Level Agreement, ou em português Acordo de Nível de Serviço) em contrato.

Esse conhecimento prévio pode poupar tempo de gestores internos. Porque, caso fossem executar internamente precisariam estudar os novos processos e investir muito tempo no desenvolvimento de uma estratégia para garantir uma proteção e segurança adequada, desviando o foco de atividades ligadas ao negócio.

3 Terceirização leva a perda de talentos.

Na verdade como já mencionado anteriormente, essa prática contribuí para conectar bons profissionais às oportunidades existentes e, muitas vezes, reduz o turn over.

O importante é fazer integração da sua empresa com a da prestadora de serviços, para criar um ambiente de colaboração e segurança, também é possível deixar claro quais os motivos que levaram a empresa a terceirizar evitando conflitos.

Algumas empresas de outsourcing fazem esse monitoramento do relacionamento para garantir resultados melhores. Esse pode ser o diferencial necessário para garantir resultados melhores. O ideal é escolher uma empresa para a prestação de serviços que seja compatível com seus valores e cultura.

4 Outsoursing não agrega valor ao negócio.

O outsourcing não é visto como uma atividade que agrega valor em algumas empresas por elas considerarem que não está diretamente ligado ao negócio. Mas ao otimizar as atividades meio, os gestores podem se concentrar no core business do negócio.

Empresas especializadas estão sempre em busca de ferramentas, recursos e treinamentos para melhoria do atendimento. A experiência adquirida em outros Jobs agiliza a atuação e confere qualidade na execução.

Para ser assertivo na contratação de um outsourcing, o ideal é fazer um mapeamento da área de TI e escolher melhor quais atividades terceirizar. Antes de contratar você deve mapear as áreas e identificar as necessidades do seu negócio. A partir disso você pode escolher quais áreas e atividades da TI que podem beneficiar sua empresa quando terceirizadas.

5 Outsourcing é sinônimo de perda de controle.

O outsourcing gera uma gestão descentralizada e permite que algumas decisões não estejam na mão dos gestores. Por conta disso alguns profissionais acreditam que pode levar a perda do controle.

Mas essa é uma afirmação falsa. Apesar da prestadora ser responsável pela mão de obra e recursos, o contratante pode acompanhar os resultados e os indicadores SLA em contrato.

Outra forma de manter o controle é escolher uma empresa que seja parceira da sua e ofereça uma gestão próxima e à vista, com transparência na entrega dos resultados e que não deixe apenas para você o monitoramento de resultados, isso irá evitar que as entregas que destoem dos objetivos instituídos.

Ainda tem dúvidas sobre outsourcing? Clique aqui e fale com um especialista.